My way

No a primeira vez que a Runners ganha algo importante no Prmio Abril de Jornalismo. Fiquei especialmente comovido quando Bruno Favoretto ficou com a arvorezinha (sim, nosso Oscar de revistas em formato ecolgico) pela reportagem sobre a sua Maratona de Nova York. Nesta tera-feira, ganhamos de novo. Curiosamente, com outra reportagem envolvendo a Maratona de Nova York. E fiquei de novo tocado. Por outras razes.

A primeira porque o prmio mudou e ficou bem mais complicado vencer. A categoria Esporte virou Sade, Fitness e Esporte. Encrencou. Mais assuntos. Este ano concorramos como uma bela matria sobre corao da Revista Cludia, uma sobre teste de HIV da revista Sade e sobre anabolizantes da Veja SP. Putz. Complicou mesmo. E nem citei as dezenas de matrias inscritas que no entraram para o quarteto das finalistas...

A nossa era mais um relato do que uma reportagem clssica dessas que a gente entrevista um bolo de gente. Alis, eram dois relatos. Antnio Carlos Castro correu pela primeira vez a maratona e contou a sua verso. Eu estava l e contei o que vi. Se difcil fazer uma matria original sobre qualquer assunto, mais duro ainda descolar uma viso diferente sobre algo que voc mesmo j fez. Nova York, para ns, um problema. No primeiro ano da RW, eu participei da prova e escrevi o 5 razes para no correr e uma para correr (a matria est no livro Correria). Achei que havia esgotado o assunto. Depois veio a reportagem do Bruno, a da Jlia Zanolli em 2012 sobre a maratona que no aconteceu por causa do Furaco Sandy. Bom, chega. Deu.

Achei que tinha dado. O Toni foi correr. Fez tudo meio errado e deu tudo mais ou menos certo. Com treinos atrapalhados e um planejamento de prova maluco, ele enfiou 3h34min em sua primeira maratona. Quando eu voltava sozinho de NY, no avio, me dei conta que ele contava a histria de um jeito. Eu de outro. Me lembrei dessas revistas de aviao que apresentam um texto em portugus e outro em ingls na mesma pgina. Era o caso. A gente falava lnguas diferentes. A designer Bruna Lora foi genial na transposio grfica da ideia. E quando chegaram as fotos da Renata Chede ficou claro que tnhamos um material bacana. Matria a oito mos. O Toni contou a corrida com a alma. Eu contei quem era o Toni. Talvez a gente tenha ganho o prmio pela forma original como contamos a histria. Ou talvez tenhamos vencido as outras trs timas matrias porque era o Toni. No h quem no o conhea na Abril. Uma das figuras mais queridas em uma empresa gigante como a Abril. A matria mostra como a gente pode vencer na prova e na vida de um jeito no convencional. O Toni fez exatamente isso em NY. Ele, mais do que todos, merecia.

PS: No estou bem certo, mas acho que trilha sonora mais adequada para ler o Toni seria essa, clique aqui!

Legenda: com Renata, Bruna e Ele

Maratona na faixa?

Que tal participar de uma maratona americana com tudo pago para o corredor e acompanhante? Bacana, mas vamos com calma. No para todo mundo. para poucos. E no preciso ser superatleta para participar. Explico.

Estamos falando de um programa chamado Global Heroes que leva corredores para participar da Medtronic Twin Cities Marathon ou da Medtronic TC 10 Milhas em Minneapolis, no estado de Minnesota. A ideia levar para as provas 25 corredores portadores de dispositivos mdicos. Estamos falando aqui de marcapassos, qualquer dispositivo para a coluna, dispositivo neurolgico, bomba de insulina ou vlvula cardaca. Voc se enquadra em algum dos itens? Conhece algum? O Global Heroes existe desde 2006 e tivemos representantes brasileiros nos ltimos em 2011 e 2012. No ano passado, nenhum corredor daqui entrou. E importante dizer que no necessrio portar equipamento da Medtronic para participar do programa. As inscries (http://www.medtronic.com/globalheroes) terminam na sexta-feira, 25 de abril e as provas acontecem em outubro. O vdeo da ltima brasileira que participou est aqui:

https://www.facebook.com/photo.php?v=1495659710658030&set=vb.1426335774257091&type=2&theater

publicidade
SobreAutor
Srgio Xavier Filho j correu de tudo. Do cachorro, da me que o obrigava a fazer o dever de casa, dos colegas maiores. Depois aprendeu a correr melhor, vieram as meias, nove maratonas e outras provas malucas mundo afora. Aos 47 anos, dirige Playboy e Men's Health da Editora Abril, alm de ser colunista da Runner's World e da Placar. Escreveu "Operao Portuga", "Correria" e comenta na Bandnews FM. Dedilha ainda umas coisinhas pelo @sxrunners no Twitter. Seu email o sxavier@abril.com.br.
PostsAntigos
África do Sul | Alemanha | Austrália/Nova Zelândia | Espanha | Estados Unidos | França | Holanda/Bélgica | Itália | Polônia | Reino Unido | Suécia